fbpx

Entenda neste artigo como o bounce rate, a taxa de rejeição, pode te ajudar a filtrar melhor suas estratégias, segmentar e-mails, otimizar sites, polir conteúdos e muito mais. É só continuar lendo!

O que é bounce rate/taxa de rejeição?

O nome “bounce rate” em tradução livre e direta quer dizer “taxa de pulo”, e trata do comportamento de usuários que, ao entrar em uma página ou abrir um e-mail, imediatamente saem, fecham ou não recebem o conteúdo.

Ou seja, os usuários ou leads “quicam” ou “pulam” para fora do que foi apresentado, rejeitando a mensagem. 

Existem dois tipos de bounce rate para e-mails: hard bounce e soft bounce. O hard bounce ocorre quando uma mensagem é enviada e nem sequer chega até a caixa de entrada do usuário, o que inclui e-mails incorretos, envios para spam, contas desativadas etc. 

O soft bounce ocorre quando um e-mail não pode ser temporariamente entregue ao lead. Por exemplo, quando uma pessoa tem a caixa de entrada cheia e não pode mais receber mensagens, quando há um erro no disparo ou problemas com o provedor do usuário. 

Para sites, o bounce rate faz menção ao tempo de tela dos usuários. Se uma pessoa acessa uma página e, poucos segundos depois, sai da mesma página sem interagir com nada, apenas fechando o navegador, as plataformas entendem isso como um bounce. 

Esse comportamento é diferente, claro, de quando uma pessoa acessa uma página, clica em um link e é redirecionada. 

Por que o bounce rate/taxa de rejeição é importante?

No inbound marketing, não basta entender quais pessoas QUEREM falar com você, é importante também entender quem NÃO QUER falar com você e, mais do que isso, o porquê dessa recusa na comunicação.

No caso de e-mails, o bounce pode ocorrer por problemas de segmentação e captação de leads. Uma base cheia nem sempre quer dizer uma base saudável, e sem as estratégias de qualificação (sem separar o joio do trigo), suas métricas podem ser prejudicadas.

Mais do que isso, altas taxas de bounce podem acabar marcando o seu domínio de e-mail como spam, o que prejudicaria a longo prazo os seus envios, reduzindo conversões e oportunidades. 

Portanto, o bounce em e-mails é um diagnóstico da qualidade dos seus envios e da sua base. Criar filtros e automações de marketing para eliminar os leads que não recebem os disparos é uma boa forma de manter sua base limpa. 

Bounce rate nos sites

Já no caso dos sites e blogs, o bounce está mais associado a como os usuários recebem e interagem com o que veem. Portanto, o bounce pode ser diagnóstico de diferentes problemas.

Para começar, sites lentos performam pior em termos de receptividade para os usuários. Uma pessoa que quer ativamente buscar algo dentro do site da sua empresa irá esperar uma página carregar, mas a vasta maioria dos usuários na internet não tem essa relação com sua marca.

Por isso, sites lentos (ou páginas lentas em alguns sites) podem ter maior taxa de rejeição, visto que as pessoas acessam, não conseguem consumir o que procuram e vão embora. 

Outro problema é gerar uma determinada expectativa nos usuários através do título da página ou de uma chamada em rede social e entregar algo completamente diferente (os click-baits). As pessoas não ficam satisfeitas quando são enganadas e, por isso, podem nunca mais voltar ao seu site. 

Por fim, outro problema comum é a usabilidade do site e a facilidade de leitura. É cada vez mais comum que os sites estejam repletos de informações, links, banners, vídeos e interrupções. Isso pode gerar distrações excessivas e também causar repulsa nas pessoas. 

De qualquer maneira, o bounce rate nos sites também tem consequências negativas. Além de perder usuários, as plataformas de busca como o Google começam a observar o comportamento de quem acessa suas páginas e, percebendo uma grande taxa de rejeição, irá penalizar o ranqueamento desses domínios através do seu algoritmo.

Com isso, os sites começam a ficar mais escondidos e saem das primeiras posições nos buscadores. 

Como identificar o bounce rate?

Existem maneiras distintas de identificar o bounce rate nas ferramentas que você usa para acompanhar e gerenciar suas estratégias de marketing. Abaixo, iremos mostrar como funciona nas principais plataformas usadas no Brasil.

Identificar taxa de rejeição no Google Analytics

Na página inicial do seu gerenciador do Google Analytics já é possível ter uma visão geral do seu bounce rate. 

Isso ajuda a comparar mensalmente o seu desempenho. Para dados mais precisos, você pode acessar: Aquisição > Todo o tráfego > Canais. 

Nessa área, basta selecionar como visualização principal as Páginas de Destino para saber quais são as páginas com maiores taxas de rejeição e quais são as páginas com menor taxa de rejeição. 

Além disso, pode comparar o desempenho da rejeição de páginas por acesso orgânico e acesso pago, avaliar os dias com maior rejeição e entender o que funciona e o que não funciona. 

Identificar taxa de rejeição no RD Station Marketing

No RD Station Marketing, por exemplo, ao selecionar Relacionar > Email você consegue ver a lista dos últimos disparos e os principais dados sobre cada um deles.

Para mais informações, é possível clicar em Ações > Estatísticas e ter um diagnóstico mais detalhado sobre o envio.

Analisando essas informações a longo prazo, é possível encontrar padrões interessantes e valiosos para sua estratégia.

Identificar taxa de rejeição no Hubspot Marketing

No caso do HubSpot Marketing, para analisar o Bounce Rate do e-mail, é necessário clicar em Marketing > E-mail. Você pode ver a lista dos últimos e-mails criados e disparados, mas também pode usar a barra de buscas para selecionar o de seu interesse. 

Ao selecionar o desejado, clique em cima da barra do e-mail para abrir uma janela lateral com os dados.

Ou então clique em Ações > Detalhes para abrir um relatório mais completo.

O Bounce Rate é um indicador fundamental para o sucesso das suas campanhas

Não basta disparar e-mails para toda a base o tempo todo ou pôr no ar páginas com palavras-chave populares que não dialogam com a sua solução.

É necessário entender que uma boa campanha de inbound filtra os acessos e se comunica apenas com as pessoas ideais para sua marca. 

Portanto, quando suas taxas de rejeição estão muito altas, algo está errado. Esse é um termômetro valioso para entender se a sua persona está satisfeita e os dados devem ser incluídos nos relatórios junto de outras métricas como taxa de cliques, taxa de conversão etc.

Uma dica valiosa para testar o bounce e a rejeição dos usuários em e-mails é, por exemplo, aplicar testes A/B com diferentes palavras no assunto para saber se alguma delas está ativando o filtro de spam das caixas de entrada. 

Quer saber mais sobre marketing e negócios para reduzir seu bounce rate? Nosso blog tem centenas de artigos com dicas valiosas para profissionais e empresas. Acesse!

Quer se aprofundar em Marketing