fbpx

Que as redes sociais são importantes e já estão presentes nas estratégias de comunicação externa das empresas todos já sabem. O que muitos gerentes ainda não pararam para analisar é que as elas podem e devem estar presentes nas ações de comunicação interna de sua organização. Afinal, seus colaboradores não utilizam as redes?

O ser humano adora as redes sociais. Gostamos de falar e compartilhar dicas e opiniões. É natural e mais de 80% dos brasileiros conectados participam de alguma delas. Seu colaborador, então, tem a liberdade de falar sobre sua marca e trocar informações com o meio externo com muito mais facilidade. Como a palavra de ordem do mercado atualmente é relacionamento, isso também deve valer para o ambiente interno e pode ser interessante criar uma rede interna para isso.

O objetivo é abrir espaço para que as informações possam circular de maneira rápida, transparente e descomplicada, quebrando um pouco a barreira hierárquica. Isso é saudável se encararmos as redes como um novo suporte de comunicação interna que facilita a transferência de conhecimento entre cada colaborador, no sentido de agilizar suas funções. Elas permitem desenvolver uma cultura de troca em prol da criatividade. Adotar essa política valoriza e promove a inteligência coletiva, estimula os colaboradores a pró-atividade, revelando novos talentos de uma empresa antenada e inovadora.

Os suportes de comunicação interna online mais usados pelas empresas são a intranet, wikis, newsletters, instant messaging, facebook e blogs e sua atualização é de responsabilidade dos departamentos de comunicação e marketing. Os blogs são muito utilizados para divulgar a marca da empresa na rede. Por que não criar um espaço onde os colaboradores possam trocar idéias e dar sugestões? Seria uma ótima maneira de disseminar a filosofia da empresa e criar uma cultura de desenvolvimento contínuo. O Ning pode ser uma opção muito boa, já que permite criar uma rede própria, fechada com espaço para foruns de discussão, compartilhamento de fotos, vídeos e textos.

O Orkut e o Facebook já são até muito utilizados. O perigo é a empresa não saber que tem um perfil nestas redes, pois eles provavelmente foram criados por algum colaborador ou até mesmo alguém de fora. É mais saudável e suguro ter estas redes compartilhadas, não? Estes são apenas alguns exemplos mais comuns de como utilizar as redes sociais como ferramentas poderosas de comunicação interna.

Existem muitos outros  a tendência é aumentar com a criação de redes próprias de relacionamento; portais, wikis e bookmarks para troca de conhecimento; blogs de idéias e jogos corporativos e até mesmo o recrutamento e seleção através de redes corporativas e dinâmicas mais interativas. É importante destacar que todas, qualquer que seja o objetivo, devem ser monitoradas e todo o público interno deve estar preparado para utilizá-las a favor da organização.

Como já falamos no post “Sua empresa está preparada para as mídias sociais?”, esta realidade deve ser encarada em uma mudança cultural. É necessário avaliar a importância da web no contexto de trabalho e estar alerta para as ansiedades e expectativas dos colaboradores.

Estas redes devem estar presentes em toda a estratégia de comunicação da empresa e isso exige planejamento. Afinal, elas são atrativas com aplicação tanto na comunicação interna como externa, não porque são moda, mas porque podem reforçar os objetivos da organização.
Quer se aprofundar em Marketing