(11) 2391-2275 - (21) 2391-7727 - (31) 2595-0730 - (32) 3026-2640 - Whatsapp: (11) 97352-2675 digital@edialog.com.br
1 vote, average: 5,00 out of 51 vote, average: 5,00 out of 51 vote, average: 5,00 out of 51 vote, average: 5,00 out of 51 vote, average: 5,00 out of 5 (1 votos, média: 5,00 de 5, avaliações)
Loading...

Aumentar as vendas e melhorar o relacionamento com os clientes é um desejo da maioria das marcas. Para isso, as redes sociais são as ferramentas perfeitas. Porém, atingir esse objetivo depende das estratégias certas. Por isso, vamos te mostrar neste blog dicas para sua empresa vender nas redes sociais.

Primeiramente é preciso entender por que investir nas redes sociais. De acordo com pesquisa realizada pela eMarketer em 2017:

  • No mundo todo, uma em cada três pessoas utilizaram alguma rede social
  • Isso representa que cerca de 2,48 bilhões de pessoas fazem parte de uma – ou mais – mídia social

E no Brasil, os números mostram que as redes sociais estão muito presentes na rotina das pessoas. No ranking de 2017 que relacionada o tempo que os internautas passam nesses sites, o Brasil ficou em segundo lugar, sendo desbancado apenas pela Filipinas. Em nosso país, os usuários passam em média 3h45min online diariamente nas mídias sociais.

Além disso, as redes sociais fazem parte de muitas relações, seja pessoais ou de trabalho. Ou seja, se a sua empresa ainda não investe nas redes sociais, esse é o momento de entrar com tudo, e ainda alavancar as vendas.

A forma como as pessoas usam as redes sociais depende do intuito de cada uma. Portanto, sabendo a importância de investir nessas plataformas, você precisa conhecer o objetivo das mesmas.

Gráfico saindo do tablet representando a assertividade em vender nas redes sociais

Qual é a melhor rede social para a venda?

A resposta para essa pergunta vai depender do produto ou serviço que você deseja vender, perfil do público que a marca visa atingir, orçamento, recursos e possibilidades que cada rede social oferece. Confira as principais e como elas funcionam para o marketing digital:

Facebook permite a marca segmente os usuários para vender mais

O Facebook é a maior rede social do mundo! O site possui mais de 2 bilhões de usuários ativos no mundo todo. Criada em 2004, a plataforma é uma das principais maneiras de estreitar relacionamentos. Com ela, as pessoas podem compartilhar ideias, se conectar a amigos e marcas, registrar momentos (inclusive ao vivo), criar e conhecer eventos, e muitas outras utilidades.

Há duas possibilidades de ingressar no Facebook. São elas:

1. Perfil

O perfil é recomendado para as pessoas que querem se relacionar com amigos e familiares virtualmente. Além disso, os usuários podem também se conectar a marcas e receber anúncios de áreas de seus interesses. Nele, você pode adicionar diversas fotos/vídeos, stories, compartilhar conteúdos e muito mais. O Facebook se atualiza constantemente. Portanto, a lista abaixo pode ser modificada. Não vamos nos estender nessa parte, pois é do conhecimento da maioria o funcionamento do perfil.

2. Página

O principal diferencial da página é a divulgação de negócios. Isso porque ela é recomendada para marcas, figuras públicas ou políticas e todos os tipos de organizações. As possibilidades que você encontra na página variam também de acordo com a categoria da sua empresa. Essa é uma plataforma ampla e gratuita para a divulgação da empresa. É claro que para melhorar os resultados, é necessário investir nos anúncios pagos.

Muitas pessoas dizem que o que não está no Facebook não existe. Ou seja, essa também é uma fonte de pesquisa sobre marcas e pessoas. Logo, por mais que o público da sua marca não tenha essa rede social como prioridade, você não deve ignorá-la. Quer aprender a usar o Facebook da melhor forma? Clique nos materiais gratuitos abaixo:

Instagram é ideal para a empresa vender por meio do smartphone

Com início em 2018, o Instagram alcançou um grande crescimento em pouco tempo. Em menos de um ano, o aplicativo já contabilizava 10 milhões de usuários – e o mais interessante é que na época estava disponível apenas para dispositivos da Apple. Essa foi uma das redes sociais pioneiras no acesso exclusivo por smartphones.

No Instagram, as pessoas podem compartilhar fotos e vídeos, seguir perfis de seu interesse, conversar de forma privada, e agora postar nas ferramentas que estão bombando: stories e IGTV.  O recurso também permite a integração com outros aplicativos, como o Facebook.

Da mesma forma que no Facebook, é possível criar contas pessoais e comerciais no Instagram. A diferença para a outra mídia social é que a interação com os usuários é bem parecida tanto para as contas pessoais quanto para as comerciais. Porém, os perfis comerciais têm mais recurso, como o monitoramento de métricas, inserção de dados como telefone, endereço, e-mail, entre outros e, claro, a criação de anúncios.

Leia mais: Como Anunciar no Instagram – Tutorial

No Brasil, de acordo com a Social Media Trends 2018, pesquisa realizada pela Rock Content, 80,2% das marcas investem nesta rede. É esperado que o Instagram registre neste ano 1 bilhão de pessoas conectadas. Seu uso é cada vez mais constante, tanto por usuários quando por empresas. Por isso, diversos especialistas acreditam que a rede social seja a principal fonte de negócio nos próximos anos.

Além disso, desde 2015 os usuários do nosso país são destaque nas pesquisas do Instagram. Isso porque a participação dos internautas brasileiros supera a média global de uso do aplicativo.

Você também pode gostar de saber:

 

Foto de usuário de redes sociais gerenciando seus relacionamentos. Representação de como vender nas redes sociais

Youtube para vender de forma dinâmica e interativa

Com o YouTube, os usuários compartilham vídeos online. Fundado em 2005, o site é o mais popular no segmento de vídeos em todo o mundo. Ele suporta qualquer estilo de vídeo e possui uma enorme gama de conteúdos. E isso engloba desde produções profissionais até criações caseiras. Outro dado interessante é que o YouTube é o 2º maior mecanismo de pesquisa do planeta.

Essa conquista aconteceu após a rede social ser comprada pelo Google. O Youtube computa mais de 1 bilhão de usuários ativos e mais de 500 milhões de vídeos visualizados por dia.

Então diariamente muitas pessoas geram inúmeras visualizações na rede social. É uma plataforma muito interessante para as marcas divulgarem vídeo marketing e aumentarem suas vendas nas redes sociais.

Aprenda a vender mais usando o Youtube no blog: Vídeo marketing – aprenda a criar conteúdos que vendem

 

LinkedIn: vender nas redes sociais para perfis mais corporativos

Lançada em 2003, essa rede social é voltada para negócios e conta com cerca de trinta milhões de usuários no Brasil. O LinkedIn permite conexões entre profissionais e empresas, de forma a incentivar o networking e o encontro da vaga ideal para cada perfil.

A forma de contato é mais formal, diferente de outras propostas, como a do Facebook e Instagram, por exemplo. Então a escolha das publicações e fotos para a identificação são feitas visando a posição da pessoa no mercado de trabalho.

Os motivos mais comuns para a presença das pessoas no LinkedIn é a atualização constante sobre seu ramo de atuação, conexão com firmas e outros profissionais, divulgação do próprio trabalho e ainda a oportunidade de contato com a opinião de pessoas influentes em suas áreas.

Muitas instituições utilizam a rede social como um dos critério na seleção de candidatos para vagas. Analisar a atuação do profissional em uma plataforma como essa é interessante para um complemento do currículo enviado.

Outro ponto interessante é que o público tem um espaço para tirar dúvidas sobre assuntos de seu interesse, e ter o auxílio de diferentes usuários. O LinkedIn Respostas também classifica os membros como especialistas em temas pontuais. Receber esse título é bastante interessante para a reputação nessa rede social.

Whatsapp permite contato mais direto na venda

Quando você conhece alguém e deseja manter o contato, logo pede o WhatsApp, certo? O mesmo acontece quando deseja conversar de forma mais detalhada com uma empresa antes de comprar um produto, não é mesmo? Dessa forma, podemos ver o poder do aplicativo, não só para vender nas redes sociais, como também para aproximar as pessoas. E, claro, facilitar a comunicação entre elas.

Essa é a plataforma de mensagens instantâneas com a maior popularidade entre os brasileiros. Ou seja, a maior parte das pessoas que têm um smartphone instalam o recurso. Mas como o Whatsapp é usado para vender?

A rede social tem uma funcionalidade denominada WhatsApp Business, ou WhatsApp para Negócios. Sua função é solucionar as necessidades de empresas de todos os portes. Porque o recurso permite que a relação entre marca e cliente seja facilitada. Isso é feito por meio de ferramentas de automação, classificação e respostas rápidas.

Foto de smartphone com o aplicativo WhatsApp, que é uma ferramenta para vender nas redes sociais

Qual é a melhor forma de vender nas redes sociais?

Redes sociais têm o objetivo principal de relacionamento. Ou seja, com elas, os usuários mantêm e criam laços entre si. Portanto, as vendas devem respeitar o que as pessoas procuram nas plataformas.

Com informações circulando em grande escala nas redes sociais, a sua empresa precisa se destacar. Já abordamos aqui um dos aspectos mais importantes para vender nas redes sociais: SAC 2.0: Os segredos do atendimento online ao consumidor. Além disso, falamos sobre as tendências de marketing digital em 2018. Tendo em vista as dicas anteriores, aprenda a seguir a elaboras estratégias diferenciadas!

1. Descubra o que o seu público está buscando nas redes sociais

Trace o perfil do público que deve ser atingido pela sua marca e comprar seus produtos. No Marketing Digital, definimos esse perfil como Persona. Ela engloba desde a idade, cargo e gênero até as necessidades da pessoa. Isso é para que você produza os conteúdos pensando em ser útil para esse usuário das redes sociais.

Fornecer informações úteis é a chave para atrair seu potencial cliente para a venda. Tendo em mente a questão de que rede social é um canal de relacionamento, a empresa deve fazer o máximo para facilitar isso.

Muitos ainda confundem o marketing digital com o tradicional e, mesmo usando as redes sociais, inserem conteúdos que não são do interesse do público. E, para que você se destaque, crie maneiras de entender o que estão buscando. Isso pode ser feito por meio de pesquisas (Formulários, enquetes e até mesmo posts em que o usuário responde nos comentários) – é claro que de forma interativa.

Outra forma de entender as necessidades do seu público é perceber as principais dúvidas, sugestões, e mensagens no geral recebidas pelo SAC. A equipe de vendas deve estar sempre em sintonia com o time de marketing para o alinhamento de todas essas questões. Isso porque os profissionais da venda sabem exatamente o perfil dos consumidores da marca.

2. Personalize o conteúdo para cada rede social

Levando em conta as funcionalidades de cada rede social, é preciso traçar a melhor forma de vender nas mesmas. Além disso, é importante entender em qual dessas plataformas sua marca deve estar inserida. Isso porque investir em todas e replicar o conteúdo pode gerar o resultado contrário e não alcançar as vendas almejadas.

Entenda em quais redes o seu público está e a maneira menos invasiva de vender por elas. Por exemplo: no Instagram, o conteúdo deve ser muito mais visual. A mensagem precisa ser passada por meio das imagens. E, nessa plataforma, uma boa alternativa para usar mais textos e outros recursos é o story. Já no Facebook, o público recebe bem artes com mais informações, além de textos maiores.

Outro exemplo interessante é que, no Instagram, os vídeos do feed devem ter no máximo 1 minuto. Se os vídeos produzidos para esse aplicativo forem postados no YouTube, o resultado não será positivo, já que nessa rede social as pessoas têm o intuito de assistir vídeos mais longos.

Enfim, sem personalizar o seu conteúdo, não será possível vender nas redes sociais de forma assertiva.

3. Estude as redes sociais dos concorrentes

Se o objetivo é se diferenciar e vender nas redes sociais, ficar de olho nos concorrentes é uma dica imprescindível! Essa análise não deve ser apenas de concorrentes diretos, mas também dos que se destacam na venda de produtos semelhantes.

Pense nas seguintes questões:

  • O que eles estão fazendo de errado?
  • No que estão acertando?
  • Quais ações feitas por eles bombaram nas redes sociais?
  • Que tipo de conteúdo gera mais engajamento, ou seja, curtidas, comentários, visualizações e outras interações dos usuários?

Com as respostas para tais questionamentos, será mais fácil determinar uma forma diferente de vender nas redes sociais. Mas lembre-se de sempre buscar aperfeiçoar as estratégias, e nunca copiar a concorrência. O interessante é tirar ideias criativas a partir do estudo das redes das marcas do ramo da sua empresa.

estrategias-para-vender-nas-redes-sociais

4. Invista nos anúncios para vender nas redes sociais

Além de produzir conteúdos úteis e atender o público com eficiência, anunciar é uma estratégia que você precisa investir para vender nas redes sociais. Muitos dizem que o conteúdo orgânico “morreu”, mas temos exemplos de que ele ainda funciona. Contudo, além de ser raro conseguir sempre bons resultados orgânicos, para atingir um nicho específico para cada publicação e vender em grande escala, o caminho é o anúncio.

É possível anunciar nas redes sociais citadas neste blog, menos no WhatsApp. E investimento é a melhor palavra para a quantia inserida nos anúncios, já que, se feitos com inteligência, proporcionam um retorno satisfatório!

Além disso, há diversos formatos de anúncios. Neles, é possível definir metas e medir o resultado. Mais uma vez, a personalização deve ser levada em conta. O tipo de anúncio que funciona no Facebook não atrai o público do YouTube, e por aí vai.

Leia também: Quanto custa anunciar no Google?

Uma dica importante é para a segmentação dos anúncios. Não inclua apenas interesses relacionados ao seu negócio, mas pense em outras áreas pelas quais os seus consumidores têm afinidade. Para exemplificar, confira um caso mostrado por André Siqueira no RD On The Road BH:

A marca vende equipamentos para atletas de tênis. Qual é a melhor forma de segmentar o anúncio?

Primeiramente, incluir interesse em tênis pode englobar inúmeros casos. Um deles é de alguém que se relaciona com alguém que escreve sobre tênis e interage com todos os seus conteúdos nas redes sociais. O algoritmo pode entender que o usuário é interessado no assunto, mas isso não é verdade. Então vamos fechar mais o nicho.

Um dos primeiros nomes que vêm à mente ao falar sobre tênis é o do Guga. É uma figura carismática, que se destacou no esporte e na televisão. Isso significa que se a segmentação incluir interesse no Google, o anúncio será exibido para muitas pessoas que não praticam tênis, mas apenas gostam do Guga.

Agora, e se usarmos Thomaz Bellucci como critério? O público já estará mais fechado, certo? Porém, pode ainda não ser 100% focado em tenistas, já que ele também é conhecido por muitos leigos no assunto.

Por fim, Thiago Monteiro é um nome popular entre os tenistas. Mas o público no geral não conhece tanto o atleta. Ou seja, essa segmentação pode ser a mais assertiva dentre essas opções. Com ela, alcançaríamos diversos praticantes do esporte nas redes sociais!

O exemplo mostra a importância da estratégia certa para os anúncios. Essa preocupação entra no critério que buscamos em todo o blog: entregar conteúdos úteis e, assim, vender nas redes sociais!

5. Ofereça vantagens exclusivas nas redes sociais

Qual cliente não gosta de se sentir especial? É claro que todos são, e a marca deve fazer o possível para demonstrar. E nas redes sociais não é diferente. Para fidelizar o público dessas plataformas, que tal criar vantagens exclusivas?

Essa ação também serve para estimular seus seguidores a estarem sempre engajados e acompanharem os posts. E, claro, é ótimo para vender nas redes sociais, pois faz com que mais pessoas conheçam o produto!

Exemplos de vantagens para seguidores

  • Se inscreva pelo link do LinkedIn e ganhe 10% de desconto no curso;
  • Os 10 primeiros que tirarem print do story ganham brindes na loja física;
  • Seguidores do Instagram que usarem o código “EmpresaInsta” ganham desconto na compra pelo e-commerce;

Enfim, são inúmeras as possibilidades, e geram uma proximidade muito interessante com o público.

6. Crie metas e monitore os resultados

Como diz a famosa frase do filme “Alice no País das Maravilhas”, se você não sabe para onde ir, qualquer caminho serve! Como ter sucesso ao vender nas redes sociais se você não tem uma meta definida?

Métricas sociais x métricas de negócio

Antes de mais nada, você tem que entender a diferença entre as métricas sociais e métricas de negócio. Isso porque o resultado completo não depende apenas do marketing digital nas redes sociais, mas sim de todo um conjunto. Então, é preciso entender até onde essas estratégias irão ajudar o seu negócio, e qual é a etapa que não depende apenas do digital.

Para isso, é importante a leitura do texto: Métricas sociais e métricas de negócio: quais as diferenças e o que elas representam

Após entender a diferença entre as duas, trace o seu objetivo em cada meio. Com isso, você saberá se está no caminho certo ou se deve mudar de estratégia em determinado ponto do projeto.

O objetivo deve ser traçado com base nos dados que a empresa já possui. Além disso, o estudo da concorrência também é importante nesse momento. Crie metas realistas, que podem ser alcançadas com os recursos e o investimento atual do negócio. Com o passar do tempo e os resultados positivos, os objetivos para vender nas redes sociais podem crescer, assim como as possibilidades da empresa.

Como monitorar os resultados ao vender nas redes sociais

Tendo um objetivo definido, o monitoramento é essencial! Isto é: acompanhe diariamente o resultado do desempenho das redes sociais. Nelas, já encontramos informações completas sobre os números da página. E alguns softwares, como o Reportei, fornecem um relatório completo automaticamente.

Entenda quando você pretende alcançar a meta e, de acordo com os resultados da página, se será possível. Caso a resposta seja negativa, não hesite em criar um plano B para que suas redes sociais tenham a melhor performance possível.

No caso das empresas que estão no início e começam a rede social do 0, é preciso ter paciência. Por isso foi dito que as metas devem ser realistas. Ou seja, é claro que o que a marca mais deseja é vender. Porém, para alcançar isso, é preciso antes ficar conhecida pelo público e ganhar a confiança do mesmo. Por isso, caso seu investimento não seja muito alto para acelerar essa etapa, não tenha a venda como a meta principal.

Foto de uma pessoa utilizando ferramentas para vender nas redes sociais

7. Tenha o auxílio de ferramentas

Temos inúmeras ferramentas a nosso favor para gerenciar e vender nas redes sociais. Por isso, conheça a gama de opções que podem auxiliar o seu negócio. Elas não precisam necessariamente ter como foco as redes. Por exemplo: uma plataforma que gerencia projetos pode facilitar o planejamento e execução de cada tarefa para as redes sociais.

Confira os materiais gratuitos sobre tais ferramentas: