fbpx

Por muitos anos era impensado fazer marketing em saúde. Isso porque se associava divulgação como algo incompatível com os princípios do segmento. No entanto, como a perspectiva de Las Casas (2001) demonstra:

“Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações de troca, orientadas para a satisfação dos desejos e necessidades dos consumidores, visando alcançar determinados objetivos de empresas ou indivíduos e considerando sempre o meio ambiente de atuação e o impacto que essas relações causam no bem-estar da sociedade“.

Assim, o marketing em saúde visa divulgar os serviços de saúde para suprir necessidades de um mercado cada vez mais exigente e competitivo. Mas, em tempos de pandemia, tudo o que se entende por Marketing em saúde precisa ser revisto. 

Se outros segmentos estão se reinventando para sobreviver a crise, a saúde precisa de adaptar para entregar cada vez mais informação estratégica para o seu público em tempos de insegurança e incerteza. 

Por isso, abaixo você encontra um guia de boas práticas e orientações para nortear suas estratégias de marketing em saúde. 

A sociedade precisa de você, mais do que nunca! 

Tendo em vista que a crise mundial é causada por uma pandemia, as vozes tecnicamente competente no momento são os profissionais da saúde. Dessa forma, é imprescindível que empresas e profissionais do setor posicionem-se para levar informações confiáveis para a população dentro de cada setor de atuação. 

A sua presença nesse momento é estratégica para dar relevância à marca, mas, mais do que isso, é uma forma de contribuir com a sociedade com conhecimentos de relevância e importância garantindo a segurança e bem-estar da população.

Dessa forma, pense em como pode contribuir no seu setor. Por exemplo, se tem uma clínica odontológica o que pode ser de interesse do público relacionando o COVID-19 com o seu segmento?

Possíveis conteúdos: Qual a relação da escovação com a transmissão da doença? Em tempos de consultório fechado o que fazer caso uma emergência ocorra?  Para odontopediatria: como explicar a importância da higienização reforçada para as crianças em tempos de pandemia, etc. 

Telemedicina 

Marketing em Saúde: telemedicina

A crise pode ser uma mola propulsora para novas ideias e iniciativas. Que tal experimentar outras abordagens em tempos de atendimento reduzido? 

Devido a pandemia, o Conselho Federal de Medicina autorizou em caráter de exceção para o período a telemedicina. Assim, é possível fazer a teleorientação, telemoritonamento e teleinterconsulta para auxílio diagnóstico e terapêutico em tempos de isolamento.

Obviamente não são todos os segmentos que podem implementar a telemedicina. Mas, pense se no seu segmento é possível usar o online para ajudar seus pacientes. Hoje são muitas plataformas que contribuem com essa aproximação, como o próprio WhatsApp ou Google Hangouts e Meet, que está liberado gratuitamente por conta do distanciamento social. 

Reforce e repense suas estratégias de marketing  

Em momentos de incerteza as pessoas precisam de iniciativas que inspirem segurança e confiança. Nesse momento desvie seus esforços para ações de marketing que reforcem sua marca institucionalmente. Talvez esse não seja o melhor momento para oferecer um procedimento, mas a hora de falar sobre confiança, tradição, valores e, como já mencionado, informações úteis. 

Para isso você pode explorar outros canais para reforçar a sua presença online. Como em lives do Instagram, Youtube, IGTV, fazer webinars, etc. 

Parar tudo ou adaptar? 

Vale destacar que, é muito importante fazer um ajuste das estratégias de marketing, mas não paralisar suas ações. Por exemplo, SEO é o tipo de estratégia com resultados a médio e longo prazo, então não deixe de fazê-lo por estar passando por um momento atípico. 

Além disso, com as pessoas em casa elas recorrem à internet para se dedicar sobre assuntos que durante a rotina que nem sempre possuem tempo. Assim, pode ser que o seu site seja a resposta para muitas dúvidas. 

Gráfico tráfegos de site em tempos de pandemia

No gráfico é possível perceber como o tráfego online de conteúdos relacionados à saúde tem crescido neste momento. Os dados são do site do Neil Patel

Boas práticas para o marketing em saúde em tempos de COVID-19

Em termos práticos esperam-se algumas posturas de profissionais, instituições e entidades de saúde. Por isso, aqui vão algumas dicas de boas práticas para o marketing em saúde neste momento. 

  • Informe sobre horários de funcionamento e medidas de segurança: 

O website e outros canais de comunicação devem esclarecer como está o funcionamento no período, e se mantém as portas abertas, quais são as medidas de segurança tomadas para proteção de funcionários e pacientes. 

  • Tenha um bom canal de comunicação:

Atenção redobrada no WhatsApp, páginas de redes sociais e quaisquer outros canais de comunicação para sanar dúvidas e orientar os pacientes de forma correta. 

  • Cuide do seu conteúdo orgânico

A pesquisa e interação dos públicos na internet agora é sem dúvidas maior. Então, mantenha seu conteúdo atualizado e pertinente para esse momento. 

  • Seus Ads não precisam parar 

Dependendo do seu segmento é interessante continuar com os anúncios pagos no Google. Afinal,  dinheiro só é gasto com pessoas interessadas em seus serviços. 

Atenção! 

Para fazer marketing em saúde nesse momento, ou em qualquer outro, é preciso ter muitos cuidados. Tenha atenção às orientações legais do que é permitido que seja feito. Avalie tudo isso antes mesmo de traçar suas estratégias.  Confira a Resolução 1.974/11 de Conselho Federal de Medicina (CFM) que apresenta o Manual de Publicidade Médica. E saiba aqui os limites do marketing em saúde.

Vire o Jogo: Inciativa para ajudar empresas em tempos de COVID-19

Letícia Fernandes

Texto escrito por Letícia Fernandes, Analista de Marketing Digital na E-Dialog

Jornalista, apaixonada por viagens, livros, filmes de romance e cachorro-quente!